Alunos de iniciação científica iniciam trabalhos em nova linha de pesquisa do CCMC

Os novos pesquisadores estão no primeiro ano do curso de Engenharia Mecatrônica

Nesta semana, três estudantes de Iniciação Científica iniciaram seus trabalhos no Grupo de Pesquisa Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos. Tratam-se de Camila Maria Serra Quadros, Guilherme Malacrida Alves e Leonardo Felipe Lima Santos, os quais serão orientados pelo docente Renato Vitalino Gonçalves, do CCMC.

Os novos pesquisadores estão no primeiro ano do curso de Engenharia Mecatrônica (EESC/USP) e após uma disciplina assistida no primeiro semestre deste ano com o Professor Renato, despertaram seus interesses pela área das ciências e engenharia de materiais. Os estudantes nos relataram quais foram suas motivações e quais serão suas temáticas de trabalho no CCMC.

Guilherme Malacrida atuará em uma pesquisa que está voltada ao crescimento de nanotubos de óxidos metálicos por anodização, mais especificamente, de óxido de vanádio para em seguida, alterar sua estrutura com outro íon metálico. Um aplicação visada neste projeto é a transformação catalítica de carbono em dióxido de carbono, que, futuramente, pode vir a ser utilizada em escapamento de carros. O aluno expôs sua motivação: “Eu me interessei pela iniciação científica no CCMC/IFSC para conhecer melhor os materiais usados aqui, suas propriedades e possíveis aplicações”.

Camila Quadros atuará na síntese de nanotubos de TiO2 e nanopartículas de Pt e Au aplicados fotocatalisadores na geração de hidrogênio solar.

Leonardo Santos, por sua vez, atuará na síntese de um fotocatalisador sensível à luz visível cuja composição envolve nanotubos de SrTiO3 e TiO2, uma vez que a geometria encontrada nestas composições em escalas nanométricas favorece o transporte de carga sobre a superfície do catalisador. O objetivo do trabalho é realizar a adaptação de um experimento já referido na literatura em que discute os aspectos fotocatalíticos do SrTiO3/TiO2 – o trabalho do aluno, entretanto, consistirá em explorar os aspectos fotocatalíticos para a produção de gas hidrogênio a partir da água. Leonardo nos elucida: “Otimizando essa produção, essa pesquisa dá passos em busca de fontes energéticas mais limpas que os combustíveis fósseis. Além disso, a pesquisa pode legar avanços para a geração de energia elétrica a partir da energia solar.” Além dos potenciais de sua pesquisa, Leonardo também nos contou sobre sua motivação e perspectivas no CCMC:“Sempre tive muito interesse pela tecnologia, em especial nos últimos anos pelo seu poder transformador mesmo em escalas tão pequenas como o “nanomundo” e diante da grande oportunidade que o professor ofereceu não havia como recusar. Tenho pretensões de seguir uma carreira acadêmica e agora terei uma chance para conhecer de muito perto como é fazer ciência, seus detalhes, sua linguagem e seu rigor. Isso me motiva muito. Além, é claro, dos nossos objetivos e possíveis impactos sociais positivos da pesquisa”.

O trabalho dos alunos encaixa-se na nova linha de pesquisa do CCMC iniciada pelo Professor Renato Gonçalves: Desenvolvimento de nanotubos de óxidos metálicos e nanopartículas metálicas. Para saber mais sobre a linha, basta seguir o seguinte endereço eletrônico: http://www.ifsc.usp.br/ccmc/index.php/pt/linhas-de-pesquisa/desenvolvimento-de-nanotubos-de-oxidos-metalicos-e-nanoparticulas-metalicas

Amanda Murgo
Sobre Amanda Murgo 134 Artigos
Educadora do Laboratório de Difusão Científica (LaDiC) do Grupo Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos (CCMC/IFSC/USP) no âmbito das ações de Difusão Científica do CDMF. Assessora de Comunicação do CCMC/LaDiC/CDMF desde 2010. Bacharel em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos com estágio no Projeto "História da Ciência e Meio Ambiente - as demandas por energia através da História" (CCMC/IFSC/USP/CDMF) de abril de 2013 a julho de 2014. Atua ministrando cursos de Educação Ambiental em escolas de Rede Básica de Ensino e Educadores com a temática pelo CDMF até os dias atuais.