CDMF e Universidade Nacional de Mar del Plata fazem pedido de patente

DISPOSITIVO DE CARACTERIZAÇÃO OPTOELETRÔNICA DE MATERIAIS

A parceria entre pesquisadores do CDMF e da Universidade Nacional de Mar del Plata, Argentina, mais uma vez gerou resultados. Além de diversos artigos publicados, foi aprovado o pedido de patente do dispositivo de caracterização optoeletrônica de materiais pelo Instituto Nacional de Propriedade Industrial (INPI). O pedido foi feito pela universidade Argentina e pela Unesp – Guaratinguetá.

O produto patenteado é um dispositivo de caracterização optoeletrônica de materiais que alteram a sua resposta elétrica ou ótica, de acordo com o tempo e a temperatura em atmosferas de diferentes gases, que compreende um cabeçote desmontável constituído por microeletrodos montado dentro de uma câmara de sílica tubular, translúcida à luz visível para permitir a observação da alteração de cor do material sensor; forno retrátil, de montagem rápida com uma janela central, que permite caracterizações em presença da luz de diferentes comprimentos de onda; tampas nos extremos desta câmara de sílica tubular que dispõem de meios para: fechar de modo estanque esta câmara, permitir a circulação de gases, de radiação, e incorporar sensores, sondas e cabos.

A invenção tem como um de seus objetivos identificar a presença de CO2, entre outros gases, que são responsáveis por intoxicação muito comum na Argentina. O país tem prioridade de uso da patente. No registro estão como inventores os pesquisadores Nicolas Tibaldi, Miguel Adolfo Ponce, Pablo Kalafatovich, Hector Asencio, Mariela Paula Desimone, Alexandre Zirpoli Simões, Leandro Silva Rosa e Elson Longo.