Prévia de qualificação de doutorado – Vitor Carlos Coletta

Síntese e caracterização dos compostos SrTi1-xCuxO3 aplicados à reação de deslocamento gás-água

Abstract:  A reação de deslocamento gás-água é realizada na produção de H2 livre de CO, necessário em aplicações como o abastecimento de células de combustível do tipo membrana de transferência de prótons (PEM). Óxidos de estrutura perovskita contendo cobre são promissores para a catálise deste tipo de reação por apresentar uma boa estabilidade química. Este projeto de tese tem como objetivo realizar a síntese e a caracterização de compostos Sr1-xCuxTiO3 e SrTi1-xCuxO3 nanoestruturados visando sua aplicação como catalisadores para a reação de deslocamento gás-água. A síntese foi realizada pelo método dos precursores poliméricos com calcinação em atmosfera de N2 seguida por um tratamento em O2. A utilização destas atmosferas possibilitou a obtenção de nanopartículas de grande área superficial em comparação à metodologia de calcinação convencional. Os resultados de difração de raios-X mostraram que ocorre a segregação dos átomos de cobre para x ≥ 0,06 na forma da fase CuO. De acordo com medidas de temperatura programada (TPR), o processo de redução para cobre metálico ocorre a 550 K, resultado confirmado por experimentos in-situ de difração e de absorção de raios-X. Estes experimentos também mostraram que a redução é alcançada a temperaturas menores se o átomo de cobre é incorporado no sítio do titânio. Dentre todas as amostras caracterizadas, a composição SrTi0,80Cu0,20O3 apresentou a melhor atividade com 74% de conversão de CO a 650 K.

Seminarista: Vitor Carlos Coletta, doutorando do CCMC

Data e horário: Dia 19/10/2015, quinta feira, das 10 h às 11 h

Local: Sala 14, Prédio Administrativo do IFSC (embaixo do anfiteatro Prof. Sérgio Mascarenhas)

Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais
Sobre Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais 436 Artigos
O CDMF é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiados pela FAPESP. O Centro também recebe investimento do CNPq, a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN).