Membranas Híbridas com Potencial Uso em Células a Combustível – Parte 2: Nanocompósitos de Poli(Carbonato) Sulfonado

Polímeros Ciência e Tecnologia, vol.24, n.3, p.402-410, 2014

Figura: Espectros de IR para amostras (a) PC puro e sulfonados, por transmitância (b) nanocompósitos de PC puro (c) comparação entre nanocompósitos de S1 e S3 com argila natural (d) comparação entre nanocompósitos de S1 e S3 com argila modificada (e) comparação de nanocompósitos de S3 e (f)comparação entre blendas B1.
See PDF Full Length Article

Writers: Gomes, Ana C. O.; Machado, Isabela M. M.; Ruvolo Filho, Adhemar; Pessan, Luiz A.; Paranhos, Caio M.

Keywords: Membrana polimérica; Nanocompósito polimérico; Célula a combustível; Eletrólito polimérico

Abstract: Membranas poliméricas condutoras de íons têm sido cada vez mais estudadas para o uso em células a combustível. Entretanto, as membranas poliméricas disponíveis no mercado para este fim apresentam algumas limitações de condições de trabalho. O estudo do poli(carbonato) modificado químicamente para uso como membrana condutora de íons é apresentado neste trabalho, através da obtenção, caracterização e avaliação do desempenho do novo material. A formação de um nanocompósito baseado em sepiolita visou o aumento na resistência mecânica e térmica das membranas obtidas, propriedades, a princípio, prejudicadas pela sulfonação do material. As membranas foram avaliadas por FTIR, DSC, TGA, DMA, inchamento em água, transmissão de vapor de água e resistência à migração iônica. Os resultados obtidos mostraram ser possível atingir um balanço estrutura versus propriedades visando um elevado desempenho das membranas estudadas.

Membranas Híbridas com Potencial Uso em Células a Combustível – Parte 1: Nanocompósitos de Poli(eterimida) Sulfonada

Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais
Sobre Centro de Desenvolvimento de Materiais Funcionais 140 Artigos
O CDMF é um dos Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) apoiados pela FAPESP. O Centro também recebe investimento do CNPq, a partir do Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia dos Materiais em Nanotecnologia (INCTMN).