LaDiC – CCMC – Perspectivas de ex-membros sobre a Divulgação Científica na carreira de um pesquisador – Ellen Rossim de Vicente

Ellen atua em uma pesquisa que investiga o potencial das redes sociais virtuais como ambientes de ensino e aprendizagem

Desde o ano 2000, o Laboratório de Difusão Científica do CCMC (LaDiC) tem colaborado com a formação de recursos humanos capacitados para atuarem na divulgação da ciência. Entre as iniciativas do LaDiC, neste âmbito, está também o estudo de metodologias de ensino dos conteúdos científicos, que possam renovar o tradicional contexto de ensino-aprendizagem de ciências, nem sempre atrativo e motivador.

 O Ensino de Física nesta perspectiva para alguns dos ex-membros do LaDiC não terminou quando finalizaram suas atividades – é o caso da hoje, atual mestranda, Ellen Rossim de Vicente, que desenvolveu Iniciação Científica no LaDiC durante dois anos, atuando em projetos que visavam compreender ações que motivassem o interesse dos alunos do ensino básico para a carreira de Física.

Continuaremos, então, a exemplo das outras semanas, esta série de depoimentos que vai ao ar todas as terças, relatando os percursos que seguiram ex-alunos do Laboratório de Difusão Científica do CCMC, compartilhando suas visões sobre o papel da Divulgação Científica para a sociedade e para a carreira de um pesquisador. Vejamos a visão de Ellen, licenciada em ciências exatas pela USP/São Carlos, no ano de 2014, com habilitação em Física.


Ellen e sua atual posição

No segundo semestre de 2014, ingressou no mestrado doprograma de Pós-graduação Interunidades em Ensino de Ciências – Ensino de Física da USP, campus de São Paulo e desenvolve o projeto intitulado “O desenvolver das atividades experimentais em salas de aula por professores: modelos e concepções”. Paralelamente ao projeto de pesquisa do mestrado, Ellen atua em uma pesquisa que investiga o potencial das redes sociais virtuais como ambientes de ensino e aprendizagem.

Os primeiros passos no LaDiC e o interesse pela divulgação da ciência

Ellen iniciou no LadiC no ano de 2011 por meio do programa Ensinar com Pesquisa:  “Inicialmente, não fazia muito ideia do que era um projeto e o que realmente realizaria. Foi a partir do contato com os orientadores (Profa. Ariane Baffa e Prof. Antonio Carlos Hernandes), os alunos e o projeto que fui me interessando pelo ambiente de pesquisa. A orientação foi essencial para minha motivação, pois foi a partir do empenho dos orientadores que busquei melhorar a minha pesquisa. Vendo a dedicação deles, me senti na obrigação de fazer o melhor que podia para melhorar o conjunto. Isso foi outro ponto que me motivou, o trabalho em equipe. Aprendi muito com o projeto e as pessoas deste grupo e findei os meus trabalhos no ano de 2012”.

Durante o período em que esteve no LaDiC, Ellen atuou em dois projetos: “Desenvolvimento e avaliação de estratégias para estimular o ingresso de estudantes do ensino médio em carreiras de Física no Instituto de Física de São Carlos (2011)” e “Estudo de fatores que influenciam o interesse dos alunos do ensino médio pela carreira de Física” (2012). A pesquisadora auxiliou também na execução do Projeto CAPES/MES-Cuba com vistas ao desenvolvimento e avaliação de estratégias que estimulassem o ingresso de estudantes para a carreira de Física.

A divulgação científica no Brasil – carências e ganhos na visão de Ellen

“Dentro do Instituto de Física de São Carlos tive contato com vários programas de divulgação científica. Sobre estes programas que tive contato, alguns deles tiveram seu início dentro do LaDiC, como iniciativas do Grupo Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos, e, posteriormente, foram institucionalizados. Além deste mérito que o LaDiC tem, ele busca sempre se envolver em novos projetos deste cunho e também está sempre aberto à comunidade externa a universidade. Outra forma que o LaDiC contribui para esta questão da divulgação científica é com a publicação dos trabalhos desenvolvidos em periódicos ou congressos. As universidades se dedicam muito pouco a divulgação científica. As  pesquisas permeiam, no máximo, as universidades. É necessário desenvolver mais projetos deste cunho nas universidades.”

A divulgação científica e a  responsabilidade do pesquisador em divulgar a ciência na visão de Ellen

 “A universidade é uma instituição que tem como base o ensino e a pesquisa. Estas ações são precursoras para o desenvolvimento de novas tecnologias e novos conhecimentos. Por sua vez, estes são os caminhos para aplicações do que aqui é gerado em benefício do homem da sociedade. Então, nada mais cabível que estes conhecimentos cheguem até o ambiente externo aos muros das universidades para que possam ser adequadamente utilizados.

É de suma importância que a sociedade utilize e tome conhecimento a respeito do que se é construído na universidade e o que isto influencia na sua vida, para fim de poder utilizar disto e melhorar o seu padrão de vida. Tomar conhecimento disto pode promover no cidadão a vontade de ser atuante no processo de divulgação científica.  Esta divulgação também pode gerar o interesse destes cidadãos na participação no ambiente universitário, seja como ouvinte, seja como aluno.”

A experiência no LaDiC na carreira de pesquisadora

“Sinceramente, acredito que se não tivesse tido o contato com o grupo, não teria seguido carreira acadêmica, como também não teria conseguido ingressar no programa do mestrado. Dentro das ações que desenvolvi neste laboratório aprendi muito. Com as pesquisas que realizei para a execução do projeto e com a orientação adquiri uma grande quantidade de conteúdos específicos da área de educação que me auxiliaram na realização do processo seletivo do mestrado e, com isso, consegui a aprovação.  Além disto, um dos temas que estavam incluso no projeto que estava desenvolvendo me interessou tanto que faz parte do meu tema geral de pesquisa do projeto do mestrado, motivou o meu problema de pesquisa.

Aprendi, principalmente, que é preciso analisar, pensar, mas não ficar somente nisto, que é preciso desenvolver. Desenvolver com um propósito que traga benefícios a área de pesquisa e, também, para o meu próprio conhecimento.”

Produtos gerados durante o período em que esteve no LaDiC

9° e 10° Simpósio Internacional de Iniciação Científica da USP, respectivamente, apresentados a seguir:

VICENTE, E. R. ; HERNANDES, A. C. ; LOURENCO, A. B. ; LLASER, J. J. G. . Atividade experimental de Física no Ensino Médio: Um estudo em escolas públicas do estado de São Paulo. 2011.

VICENTE, E. R. ; HERNANDES, A. C. ; LOURENCO, A. B. ; JOAO, H. A. . Um estudo da Educação para a Carreira de Física em alunos do Ensino Médio de escolas do estado de São Paulo. 2012.

Apresentação oral do trabalho no III Simpósio Nacional de Ensino de Ciência e Tecnologia na cidade de Ponta Grossa, Brasil:

VICENTE, E. R. ; JOAO, H. A. ; LOURENCO, A. B. .Orientação vocacional para a carreira de Física: Um Estudo de caso em um programa de extensão universitária da Universidade de São Paulo, 2012.

Apresentação de pôster no IX Congreso Internacional sobre Investigación en Didáctica de las Ciencias na cidade de Girona na Espanha:

VICENTE, E. R. ; LOURENCO, A. B. ; HERNANDES, A. C. ; LLASER, J. J. G. . Aulas de Física em escolas da rede pública de São Carlos, Brasil: Desde uma visão dos alunos. 2013.

Este trabalho gerou uma publicação na Revista Enseñanza de las Ciencias.

Amanda Murgo
Sobre Amanda Murgo 134 Artigos
Educadora do Laboratório de Difusão Científica (LaDiC) do Grupo Crescimento de Cristais e Materiais Cerâmicos (CCMC/IFSC/USP) no âmbito das ações de Difusão Científica do CDMF. Assessora de Comunicação do CCMC/LaDiC/CDMF desde 2010. Bacharel em Filosofia pela Universidade Federal de São Carlos com estágio no Projeto "História da Ciência e Meio Ambiente - as demandas por energia através da História" (CCMC/IFSC/USP/CDMF) de abril de 2013 a julho de 2014. Atua ministrando cursos de Educação Ambiental em escolas de Rede Básica de Ensino e Educadores com a temática pelo CDMF até os dias atuais.